Economic Thought and Culture in Revolutionary Mexico

Resumo

A obra México y los capitales extranjeros (1918) do economista Carlos Díaz Dufoo foi a primeira crítica abrangente sobre o “mito da riqueza do México” — a noção que se tinha na época de que o México possuía imensas riquezas por causa do seu tamanho, do seu clima variado e dos seus recursos naturais valiosos, que foi popularizada pelo ensaio na época da Independência, Ensayo Político sobre el reino de la Nueva Espaúa, de Alexander von Humboldt. O argumento de Diaz Dufoo está enraizado em uma noção contemporânea de riqueza que orientou suas percepções da economia mexicana. Mas o seu texto controverso está também envolvido com o contexto revolucionário. Assim, examinando tanto o ataque de Diaz Dufoo ao mito quanto a recepção de suas críticas pelos revolucionários, este ensaio possibilita novas visões a respeito das idéias econômicas e das ligações entre ideologia econômica e a política no México revolucionário.

PDF (English)